VÍDEO DELAÇÃO IVAN – Ricardo Coutinho ordenou à Ivan Burity aplicar mais de R$ 1 milhão de propina em reforma de imóvel da família Coutinho onde funcionava o canal 40, o “QG” das campanhas, tudo sem alvará da PMJP e sem contrato

Please enter banners and links.

Em 2011, no primeiro ano como governador do estado da Paraíba, Ricardo Coutinho , em reunião com Livânia Farias e Ivan Burity, determinou que fossem arrecadados recursos oriundos de propina, na ordem de mais de R$ 1 milhão, para reformar um imóvel de propriedade do “Clã Coutinho”, onde funcionava o Canal 40, espécie de “QG-Quartel General” para as campanhas políticas dos socialistas. A megaestrutura foi inaugurada na campanha de Estela Bezerra à Prefeitura de João Pessoa em 2012.

Além de arrecadar dinheiro sujo de propina para valorizar imóvel do “Clã Coutinho” , localizado nas proximidades do Distrito Industrial de Mangabeira, onde funcionava o Canal 40, a ordem de Ricardo Coutinho era que toda a obra fosse feita de forma clandestina, sem alvará da Prefeitura de João Pessoa, sem contrato com a construtora.

“Quando me foi dada a missão de construir o Canal 40 de forma velada , ou seja, não deveríamos tirar alvará, não fazer contratos formais com empresas. Inicialmente foram feitas planilhas, essas planilhas foram apresentadas a Ricardo. Não foi tirado nenhum tipo de licenciamento. Por isso que não foi dado a gente documento nenhum, talvez essa posse seja tão encoberta , que daí essa história faça sem perguntar. A gente nunca teve acesso de quem era ( o imóvel)”, disse Ivan Burity.

Em acordo de delação premiada, o arrecadador de recursos de propina, Ivan Burity, confessou aos promotores do Gaeco, que ele próprio foi encarregado pessoalmente por Ricardo Coutinho de assumir a missão. “O primeiro aporte foi de R$ 800 mil, mas depois das obras complementares, porque aí ficaram pedindo para cobrir garagem e outras coisas, passou de R$ 1 milhão, R$ 1 milhão e 500 mil, por aí”, disse Ivan Burity.

O terreno onde ficava o imóvel era cercado por muro de três metros de altura, e a missão dada por Ricardo Coutinho a Ivan Burity era reformar o prédio , com dinheiro de propina de Empresas contratadas pelo Governo do Estado, e cuja obra não chamasse a atenção de ninguém, de forma clandestina, sem qualquer documento junto à Prefeitura.

Segundo Ivan Burity, em sua colaboração, “A obra do novo prédio do Canal 40, com mais de R$ 1 milhão de propina, ficou exuberante. “As instalações ficaram suntuosas, com estúdios climatizados e isolados acusticamente, um bloco de comando com escritório e suíte exclusivos para Ricardo Coutinho, várias salas para reunião, salas para produção de vídeos e spot para rádio, refeitório, cozinha, estacionamento coberto, duas salas de recepção independentes, complexo de salas para o corpo jurídico, salas para T.I., e muros reforçados”.

Ivan Burity revelou que o próprio Ricardo Coutinho foi, por duas vezes, inspecionar as obras da reforma do novo prédio do Canal 40. O irmão de Ricardo,  Coriolano Coutinho estava no local com mais frequência para acompanhar e fiscalizar o andamento da obra.

O ex-governador Ricardo Coutinho não teve nenhuma preocupação em fazer uma obra, de valor em mais de R$ 1 milhão,com dinheiro sujo de propina, investindo e valorizando sobremaneira imóvel particular cuja propriedade se confundia entre Sandra Coutinho, Coriolano Coutinho e o próprio Ricardo Coutinho.

Além disso o ex-governador determinou que se desrespeitasse completamente a legislação para o tipo de procedimento de obra de reforma , ignorando o regramento e as licenças obrigatórias que deveriam ser requeridas junto a Prefeitura Municipal de João Pessoa, cuja gestão à época também era comandada pelo seu grupo político. VEJA TRECHO DA DELAÇÃO :