VÍDEO – Clube dos Oficiais da PM emite nota solidária a deputados chamados de malandros por serem contra urgência na votação da Reforma da Previdência na Paraíba, ” atitude reprovável e incompatível com a liturgia do cargo”

Please enter banners and links.

O discurso agressivo do governador João Azevedo não pára de produzir fatos novos, e reprovando o comportamento do chefe do Poder Executivo, que chamou os deputados de malandros em discurso durante evento na cidade de Guarabira.

Neste sábado a diretoria do Clube dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar decidiu por emitir uma nota atribuindo o comportamento do governador como “atitude reprovável e incompatível com a liturgia do cargo”, e afirmou que ” a forma descortês e desrespeitosa com que agiu o governador não deve ser aceita sen tolerada pela sociedade pela sociedade paraibana”, diz a nota.

Alerta ainda de que “o nosso sistema eleitoral que dá legitimidade ao governador, igualmente o faz com os eleitos para a Assembleia Legislativa da Paraíba”

A nota solidária aos deputados que foram chamados de malandros por terem sido contra o regime de urgência urgentíssima a votação da Reforma da Previdência na Paraíba, publicada neste sábado, é assinada pelo presidente do Clube dos Oficiais da PM e BM, da Paraíba, coronel Francisco de Assis e Silva.

VEJA A NOTA NA ÍNTEGRA :

NOTA SOLIDÁRIA AOS DEPUTADOS:

O Clube dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar da Paraíba – COPM – vem, em defesa da
democracia, da ordem, e do respeito mútuo entre os poderes instituídos, informar à sociedade
paraibana:
1 – O Senhor Excelentíssimo Governador do Estado da Paraíba, João Azevedo, numa atitude
reprovável e incompatível com a liturgia do cargo, atacou os senhores deputados de Oposição,
chamando-os de “malandros”;
2 – A forma descortês e desrespeitosa com que agiu o Governador, não deve ser aceita nem
tolerada pela sociedade paraibana, pois o nosso sistema eleitoral que dá legitimidade ao
governador, igualmente o faz com os eleitos para a Assembleia Legislativa da Paraíba;
3 – O desconforto do chefe do Executivo só tem uma explicação: a inquietação dos que
tentaram atropelar o processo legislativo para empurrar de goela a dentro dos servidores, uma
Reforma da Previdência, injusta e antidemocrática.
4 – A coerência nos mostra que Reforma da Previdência é tema para ser discutido em qualquer
lugar do País, em todas as esferas, federal, estadual e municipal. A pauta é legítima, a forma
arbitrária, desrespeitosa e excluindo o debate não;
5 – Os deputados de Oposição estão no seu papel de questionar a forma arbitrária de urgência
urgentíssima na tramitação da Reforma. Aliás a Justiça também se convenceu disso, é tanto que
suspendeu a tramitação como queria o Governo. Resta saber se o Governador vai incluir mais
gente no seu vocabulário no próximo discurso;
6 – Assim o CLUBE DOS OFICIAIS sente-se na obrigação de ser solidário, externar e registrar
total apoio aos deputados, e ao Poder Legislativo. Não esqueçamos que Democracia é respeitar
a opinião e posição dos contrários. Afinal na gangorra da história, ora se estar na Oposição, ora
se estar no Governo. A diferença é a forma que se comporta em qualquer dos lados;
7 – Por fim o COPM se dirige aos deputados que defendem o Governo, que não o façam de
forma desmedida. O servidores estão sofridos com 8 anos de arrocho salarial, abandono e
perseguição. Pensem nisso.

Francisco de Assis e Silva – Cel PM
Presidente do COPM/PB

VEJA O VÍDEO DO GOVERNADOR :