Ricardo Coutinho trouxe a Cruz Vermelha, a propina abasteceu campanhas eleitorais e mansões, e a imprensa é a culpada? Como assim ? – por Marcelo José

Please enter banners and links.

É preciso desenhar, então vamos lá.

Em 2010 Jaime Gomes da Silva, tio do diretor nacional da Cruz Vermelha, Daniel Gomes da Silva, doou R$ 300 mil para a campanha do então candidato Ricardo Vieira Coutinho (PSB).

O socialista venceu as eleições e assim que tomou posse em 2011 tratou logo de trazer a Cruz Vermelha Brasileira para administrar o Hospital de Emergência e Trauma da Capital.

Para agilizar a contratação da Organização Social, em vez de enviar um projeto de lei à Assembleia Legislativa da Paraíba, Ricardo Coutinho editou a Medida Provisória 178/2011, publicada no Diário Oficial do Estado, dia 4 de julho de 2011.

No dia 6 de julho o Governo do Estado e a Cruz Vermelha Brasileira assinavam um contrato que duraria 7 anos e 6 meses, período em que a Organização Social recebeu mais de R$ 1 bilhão dos cofres da Paraíba.

Dia 14 de dezembro de 2018 a Operação Calvário cumpre 44 mandados de busca e apreensão, e prende 11 pessoas, entre as quais o Daniel Gomes da Silva, diretor nacional da Cruz Vermelha, e Roberto Kremser Calmon, este foi preso em um hotel de luxo na praia do Cabo Branco em João Pessoa.

Dia 1º de fevereiro de 2019 a Operação Calvário prendeu Leandro Nunes de Azevedo, assessor da Secretaria de Administração do Estado, que dias depois assinou delação premiada e contou tudo que sabia sobre um esquema criminoso de propina a partir da contratação da Cruz Vermelha.

A investigação descobriu e o delator confirmou : A Cruz Vermelha através de Michelle Louzada Cardoso, entregava grande quantidade de dinheiro, a título de propina para agentes públicos e para campanhas eleitorais dos Girassóis na `Paraíba.

Dia 16 de março a Operação Calvário prende a ex-secretária Livânia Farias, que também resolve colaborar com as investigações e resolve revelar tudo sobre o esquema, quem eram os integrantes, como agiam, e como lavavam o dinheiro.

Dia 30 de abril a Operação Calvário prende Maria Laura Carneiro assessora do ex-procurador geral do estado, Gilberto Carneiro, e cumpre 18 mandados de busca e apreensão, inclusive na casa do ex-procurador.

A Operação Calvário se expande em setores vitais do Governo, além da Saúde, Educação, Infraestrutura, locação de veículos, benefícios fiscais, e até grampos ilegais e escutas clandestinas, sem falar nas maquinetas nas eleições.

Uma lama dessa, e vem o ex-presidente Lula, preso em Curitiba, mandar um bilhete ao ex-governador Ricardo Coutinho, dizer que é culpa da imprensa ?  A deputada Estela Bezerra atacando o colega jornalista Thiago Moraes, dizendo que o profissional era o esgoto do jornalismo ?

Deputada , para o esgoto vão os ratos que integram a organização criminosa que desviou recursos da saúde dos paraibanos, e é responsável pelo maior escândalo de corrupção da história de nossa Paraíba.

E acreditem ainda há setores, em vez de ressaltar o trabalho do Gaeco, do MPF, da Polícia Federal, continuam defendendo os integrantes da Organização Criminosa.

 

Marcelo José

Jornalista e advogado