Cruz Vermelha pagou R$ 1,8 milhão a contador que mora no Rio Grande do Sul, revela conselheiro relator no TCE

Please enter banners and links.

Enquanto um contador que é servidor do estado recebe R$ 3.500,00 , a Cruz Vermelha pagou só a um contador, que mora no Rio Grande o Sul, a quantia de R$ 1.794.000,00 ( Hum milhão setecentos e noventa e quatro mil rais) entre os anos de 2012 e 2015. A revelação foi feita na manhã desta quarta-feira, dia 13, pelo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Nominando Diniz, relator no processo que analisa a gestão da Cruz Vermelha no Hospital de Trauma da Capital, só referente ao ano de 2013.

O Tribunal de Contas analisa o processo sobre a gestão e os gastos da Cruz Vermelha Brasileira, no Hospital de Trauma da Capital. O relatório dos auditores do TCE aponta 40 irregularidades graves, e prejuízo que supera os R$ 9 milhões. O parecer do Ministério Público de Contas é pela irregularidade da gestão, suspensão do contrato do Governo com a Cruz Vermelha, imputação de débito com a devolução do montante apontado pela auditoria, aplicação de multa e representação ao Ministério Público do Estado para apuração de atos de improbidade.

O julgamento transcorre na manhã desta quarta-feira, dia 13, no Tribunal de Contas do Estado.