MPC dá parecer pela irregularidade da prestação de contas da gestão do Hospital Edson Ramalho, na Capital

Please enter banners and links.

O Ministério Público de Contas emitiu parecer pela irregularidade da prestação de contas da gestão do Hospital Edson Ramalho referente ao exercício de 2018.

A auditoria do TCE apontou irregularidades a exemplo de “ocorrência de deficit financeiro no montante de R$ 1.429.864,94 , sem adoção das providências efetivas por parte do gestor, divergência de registro entre o relatório inventário geral dos bens móveis e imóveis, e realização de despesas sem licitação no montante de R$ 2.952.583,05”.

A gestora do Hospital Edson Ramalho, à época, coronel Socorro Cristiane de Oliveira Uchôa, ao tomar conhecimento do parecer peticionou no processo requerendo oportunidade para defesa complementar no sentido de apresentar dados e documentos que possam afastar as irregularidades até agora apontadas pela Auditoria do TCE e constatadas pelo Ministério Público de Contas.

O TCE já havia pautada a prestação de contas do Hospital Edson Ramalho para o próximo dia 6 de agosto, quinta-feira, mas poderá adiar conforme decisão se acata ou não pedido para defesa complementar.