SEGURANÇA PARA EX-GOVERNADOR : Entidades da PM emitem nota e chamam iniciativa de “privilégio imoral que expõe a corporação e o cidadão”

Please enter banners and links.

Entidades da Polícia e Bombeiros Militares da Paraíba emitiram uma nota pública contra a iniciativa do governador Ricardo Coutinho que criou uma guarda para a segurança particular de ex-governador, sendo ele mesmo beneficiado. A nota chama de “privilégio imoral que expõe a corporação e expõe o cidadão, que embora viva numa total insegurança, agora é obrigado a pagar segurança particular para quem deixa o cargo, mas não desapega do poder”.

O governador Ricardo Coutinho prestes a deixar o cargo para disputar mandato de senador, criou , através de uma lei, cargos de segurança particular a ex-governador, formada por policiais militares da Paraíba.  A lei já está em vigor e garante ao próprio Ricardo Coutinho, ao deixar o cargo , possivelmente amanhã, que tenha à sua disposição permanente uma guarda formada por três policiais militares, um oficial e dois praças, escolhidos pelo próprio ex-governador.

Veja a nota abaixo :

 

NOTA PUBLICA

As entidades em defesa da Polícia e Bombeiros Militares da Paraíba, vem à público, externar nosso desapontamento com a iniciativa do Governo do Estado criando uma lei que dispõe da guarda militar à disposição da segurança particular de ex-governadores na Paraíba. Essa medida, nada mais é, que uma afronta à sociedade paraibana que vem há anos clamando por um mínimo de segurança em nosso estado.

Além de expor a vaidade e um privilégio descabido a um governante, expõe também a instituição, já tão maltratada, com efetivo reduzido, e sofrida decorrente de promessas não cumpridas aos homens e mulheres que honrosamente vestem essa farda.

Lamentavelmente esse privilegio imoral, expõe a corporação, e expõe o cidadão, que embora viva numa total insegurança, agora é obrigado a pagar segurança particular para quem deixa o cargo, mas não desapega do poder.

Testemunhamos o nascimento de uma lei, de cunho casuístico, de caráter exclusivo pessoal, violando princípios da Constituição Federal, como da Moralidade e Impessoalidade, além do interesse público que neste caso foi ignorado pelo interesse particular.

Estaremos, após melhor análise, buscando junto ao Ministério Público da Paraíba, o guardião da lei, as providências necessárias para cessar a ilegalidade. A Polícia e o Bombeiro Militar que sempre estiveram ao lado do povo, e em defesa da sociedade, não haveriam de se omitir neste momento tão vulnerável e temeroso.

Ao lado da sociedade continuamos, e ao lado da lei também.

 

 Francisco de Assis Silva – Cel PM

Presidente do Clube dos Oficiais

 

 Maquir Alves Cordeiro – Cel PM

Presidente Associação dos Inativos