Filiação de Veneziano aproxima ainda mais o MDB de João Azevedo, afastando a legenda naturalmente de Romero – por Marcelo José

Please enter banners and links.

A saída do senador Veneziano Vital do PSB já vinha sendo sinalizada. Afinal o Partido Socialista Brasileiro é comandado por Ricardo Coutinho, apontado chefe da organização criminosa responsável por desvios milionários na saúde e na educação no Governo da Paraíba.

Essa convivência dentro de uma legenda cuja cúpula foi presa na Operação Calvário era muito perigoso eleitoralmente. O resultado das urnas mostrou isso, senão vejamos os braços do ex-governador Ricardo Coutinho, no Conde com Márcia Lucena, e Picuí, com Buba e Gilma Germano.

Mais que isso. Veneziano ao tempo em que queria se afastar dos Girássois , também pensou nas eleições de 2022. E com uma cajadada só Vené acertou dois coelhos.

A filiação de Veneziano aproxima ainda mais o MDB do Governo de João Azevedo, fazendo um movimento de afastamento de uma possível composição com Romero Rodrigues, a título de hoje candidato natural a governador em 2022.

Nas eleições em João Pessoa o candidato a prefeito do MDB, Nilvan Ferreira, estabeleceu antagonismo entre seu partido e os aliados Cícero e João, que estavam juntos no palanque adversário.

O desfecho das eleições em João Pessoa estaria aproximando as forças do MDB, PSD, PSDB, inclusive com a presença de Romero Rodrigues no anúncio de apoio a Nilvan Ferreira, no segundo turno.

Dizem que é muito cedo para falar de eleições 2022, mas para agir não. E Veneziano já começou a mexer no tabuleiro. Aproximando o MDB de João, e naturalmente afastando de Romero.