Botafogo venceu o Imperatriz, mas falta vencer o ego de quem se acha Imperador – por Marcelo José

Please enter banners and links.

A comissão técnica e os jogadores do Botafogo deram uma aula em campo neste sábado. E fora dele também. Nas quatro linhas o grupo se superou, venceu o Imperatriz por 2 x 1, jogando no Maranhão, conseguiu a primeira vitória do clube na Série C este ano , e elevou o Belo para a sexta colocação no grupo A.

O resultado alcançado pela comissão técnica e jogadores é uma lição a conselheiros que nos bastidores insistem em fabricar confusões. Em pleno sábado, dia do jogo decisivo contra o Imperatriz, eis que surgem nas redes sociais áudios de agressões verbais entre conselheiros do clube.

Já vi e conheço muitos conselheiros pacificadores e que colocam o bem do Botafogo acima das questões pessoais e interesses outros que não sejam exatamente o Belo.  Alguns conselheiros do Botafogo deveriam entender que atitudes e palavras que não servem para unir, pacificar e agregar, ajudam a destruir.

Quase que no mesmo instante em que o treinador Rogério Zimmermann utilizava sua experiência e sua sabedoria para unir o grupo em campo, nos bastidores figuras que parecem mais meninos mimados, extravasavam todo o seu tédio, liberando toda sua inconsequência.

O novo técnico do Botafogo está devolvendo aos poucos a confiança ao time. No empate com o Jacuipense em 1 x 1, a equipe já demonstrou estar melhor estruturada em campo. Na vitória deste sábado comprovou. O Belo está se reorganizando, e com um pouco mais de apoio, de união e trabalho, dá para chegar ao G-4.

Portanto, é necessário que as vaidades e os comportamentos extravagantes , que causam divisão, deem espaço a união e ao bem do clube.

O Botafogo não pertence a A, B ou C. É patrimônio de sua torcida, e dono das conquistas e única estrela que deve brilhar de verdade. Ninguém tente ter mais brilho do que a estrela no peito do torcedor do Belo.

O exemplo da comissão técnica e dos jogadores deve servir de espelho aos conselheiros do Botafogo. O Belo precisa de unidade, desprendimento , equilíbrio e sensatez. Não se pode tratar o clube como se bem particular fosse, pois trata-se de um bem de todos.

O Botafogo venceu hoje o Imperatriz. Mas ainda falta vencer o ego de quem se acha Imperador.

 

Marcelo José