Após determinar retirada de tornozeleira de Ricardo Coutinho, apontado chefe da orcrim, Gilmar Mendes nega pedido de suposta “laranja” na Calvário , em cuja residência a PF apreendeu R$ 440 mil em espécie

Please enter banners and links.

O ministro Gilmar Mendes, do STF, negou na tarde desta segunda-feira, dia 10, a retirada da tornozeleira de Denise Krummenauer Pahim , presa na Operação Calvário, apontada pela Força-Tarefa como “laranja” de Ricardo Coutinho, e em cuja residência a Polícia Federal apreendeu R$ 440 mil em espécie, em em moeda estrangeira, euros e dólares.

“Dessa forma , considerando que o pedido liminar foi deferido em favor do paciente com base em circunstâncias peculiares e ligadas ás suas condições de saúde, indefiro o pedido de extensão da requerente”, afirmou em sua decisão o ministro Gilmar Mendes.

Gilmar Mendes decidiu atender pedido da defesa de Ricardo Coutinho para determinar a retirada da tornozeleira do ex-governador da Paraíba, fundamentando sua decisão no fato de que o equipamento estava apresentado muitos problemas técnicos, e que a ida do denunciado ao local para consertá-lo, estava o expondo a contrair a Covid-19, colocando em risco a saúde do socialista e a da família dele.